Brasil

Publicado em: 22/05/2020  |  Por: OAmazones-Manaus/AM  | Polêmica

Em carta, prefeito de Manaus reage à declaração de Bolsonaro que o chamou de 'bosta'

Foto: Márcio James / Semcom

Prefeito de Manaus reagiu às declarações do presidente

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, publicou carta aberta na noite desta sexta-feira, 22, em que reage às declarações do presidente Jair Bolsonaro, que em vídeo de reunião ministerial divulgado ao longo do dia, o chamou "bosta" por ter mandado abrir covas coletivas para as vítimas da pandemia de Covid-19.

Para o prefeito da capital do Amazonas, as declarações do presidente representam "um verdadeiro 'strip-tease moral' feito por quem não tem a mais mínima condição de governar o Brasil." O gestor municipal disse, ainda, que a reunião ministerial fora transformada por Bolsonaro "em uma conversa de malandros de esquina."

Leia a carta na íntegra:

Os insultos do presidente Bolsonaro, dirigidos a mim e a outros homens públicos, representam um verdadeiro “strip-tease moral” feito por quem não tem a mais mínima condição de governar o Brasil.

Transforma a solenidade de uma reunião de Ministério em uma conversa de malandros de esquina. Quebra a liturgia do cargo. Vulgariza a instituição que deveria saber honrar. Exibe despreparo e me põe a questionar todos os presentes: como um ministro pode, sem se desmoralizar, conviver com uma pessoa dessa baixa extração? Que tempos! Que costumes.

Nosso povo merece acatamento e não a submissão a uma liderança do submundo das “rachadinhas” e das milícias, do submundo da ditadura e das torturas.

O presidente da República, em seu criminoso boicote ao isolamento social, em seu desprezo aos indígenas, em seu apreço a garimpeiros que poluem rios, sonegam impostos e invadem áreas indígenas, é claramente cúmplice de tantas mortes causadas pelo Covid 19. Trata-se de um ser despreparado, inculto e deseducado.

Não gosta de mim? Que bom. Sinal de que estou no lado certo da vida. Também não gosto da ditadura que já nos massacrou e que ele gostaria de reviver. Daqui a pouco mais de dois anos, o país estará livre de tão diminuta e mesquinha figura.

Arthur Virgílio Neto
Prefeito de Manaus

O vídeo da reunião ministerial foi divulgado na íntegra, nesta sexta-feira, por determinação do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). O vídeo seria a prova citada pelo ex-ministro Sergio Moro de que Bolsonaro havia tentado intervir na Superintendência do Rio de Janeiro da Polícia Federal (PF) em favor dos pŕopios filhos, que são investigados.

COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Email:

Mensagem:

MAIS NOTÍCIAS

CURTA NA FAN PAGE
ENQUETE
O Amazonês
Tel.: (92) 99187-6366
© Copyright 2019 - O Amazonês. Todos os direitos reservados.